COVID-19 é o nome, atribuído pela Organização Mundial da Saúde, à doença provocada pelo novo coronavírus SARS-COV-2, que pode causar infeção respiratória grave como a pneumonia. Este vírus foi identificado pela primeira vez em humanos, no final de 2019, na cidade chinesa de Wuhan, estando a  espalhar-se pelo mundo, representando uma pandemia.

Transmissão

COVID-19 transmite-se principalmente:
– de pessoa a pessoa, através de gotículas respiratórias de pessoas infectadas quando  tossem ou espirram.
– através do contacto de mãos contaminadas que, posteriormente, contactam os olhos, nariz ou a boca (as mãos contaminam-se facilmente em contacto com objetos ou superfícies por sua vez contaminadas com gotículas de pessoa infetada)

 

Sintomas, diagnóstico, prevenção  e tratamento de COVID-19

Sintomas
Os sintomas do COVID-19 podem ocorrer cerca de 2 a 14 dias após a exposição ao coronavírus. Os sintomas iniciais são inespecíficos (e comuns a outras infecções virais, como a gripe sazonal) e incluem febre, tosse, dor no peito ou falta de ar.

Diagnóstico de COVID-19
O diagnóstico positivo de COVID-19 requer a detecção do vírus na colheita nasofaríngea  em doentes sintomáticos. Na maioria dos países, os testes são efectuados só a pessoas altamente suspeitas de COVID-19 ou que estiveram com indivíduos infectados.

Prevenção da infecção pelo COVID-19
A melhor maneira de  prevenir a doença é não se expor ao vírus.
As medidas de prevenção sugeridas pela Direção Geral de  Saúde (DGS) são:

  • distanciamento social
  • etiqueta respiratória:
    • tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir
    • utilizar um lenço de papel ou o braço, nunca com as mãos
    • deitar o lenço de papel no lixo
    • lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir
  • reforçar as medidas de higiene:
    • lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica
    • evitar contacto próximo com doentes com infeções respiratórias

Tratamento
De momento, não existe tratamento específico para o COVID-19  e também não existe vacina.  O tratamento é essencialmente de suporte, em casa ou no hospital.

RECOMENDAÇÕES PARA OS DOENTES ONCOLÓGICOS

Siga as recomendações da Direção Geral de  Saúde (DGS)

– Fique em casa.
– Lave as mãos frequentemente com água e sabão. Especialmente depois de usar a instalações sanitárias; antes de comer; limpar o nariz; tosse ou espirro; e antes e depois do contacto com outras pessoas.
– Evite tocar o  rosto (olhos, nariz ou boca) com as mãos não lavadas e e não roer as unhas
– Use a máscara de acordo com indicações dos profissionais de saúde do centro hospitalar em que está a ser tratado

Sociedade Portuguesa de Oncologia elaborou um conjunto de medidas que visam proteger e informar os doentes com cancro.

“Tendo em consideração que as doenças oncológicas são doenças crónicas, e os tratamentos oncológicos diminuem o sistema imunológico, os doentes com cancro passam a constituir uma população particularmente vulnerável à infecção pelo COVID-19, e parece que com maior susceptibilidade de virem a desenvolver complicações”,

Contudo alguns destes doentes podem estar em maior risco de infecção grave devido a outras causas, nomeadamente idade avançada.

Para os doentes com doenças malignas de sangue:

–  Se estiver a fazer tratamento

Fale com o seu Médico sobre os tratamentos agendados e as próximas consultas no hospital.

Se precisar de vir a uma consulta, tome as precauções máximas e proteja-se. Não adie sua vinda ao hospital, a menos que seu médico peça que você o faça.

–  Se apresentar sintomas de COVID-19

Ligue imediatamente para o número do SNS24 – 808 24 24 24 se tiver febre, tosse, dor de cabeça ou dificuldade em respirar.

Informe seu médico hematologista / oncologista por telefone ou e-mail  (não vá ao hospital, pois pode contaminar os profissionais de saúde ou outros doentes).

 

Para mais informações e actualizações consulte o site da Direção Geral de Saúde

https://covid19.min-saude.pt/