Mieloma Múltiplo

Conheça esta doença e as suas características

O que é o Mieloma Múltiplo

O Mieloma Múltiplo é uma doença maligna do sangue, que se desenvolve a partir de células linfóides maduras denominadas plasmócitos (um tipo de glóbulos brancos) que têm origem na medula óssea. Os plasmócitos produzem anticorpos que ajudam a combater as infeções.

No Mieloma, devido a uma alteração genética, os plasmócitos produzem grandes quantidades de anticorpos não funcionais – Proteína M (proteína monoclonal ou paraproteína).

Normalmente os plasmócitos na medula óssea estão em pequeno número (menos de 5% das células). No Mieloma Múltiplo o seu número aumenta e estes invadem e destroem o tecido em seu redor, provocando lesões nos ossos.

Sintomas

Os plasmócitos são encontrados na medula óssea/osso – coluna, crânio, costelas, ossos longos – e a proteína monoclonal produzida pode causar sintomas como:

  • Dor óssea, mais frequentemente nas costas, caixa torácica e ancas
  • Fracturas ósseas
  • Fadiga
  • Infecções repetidas/graves como pneumonia
  • Anemia
  • Insuficiência renal
  • Elevação do cálcio

Complicações associadas ao Mieloma e respetiva prevenção

O dano provocado pela Proteína Monoclonal e o impacto da doença nos ossos geram algumas complicações:

  • Fraturas ósseas – manter uma atividade física suave e continuada, receber tratamento com bifosfonatos, tomar cálcio e vitamina D.
  • Complicações neurológicas – a serem avaliadas pelo médico assistente.
  • Hipercalcemia (acumulação excessiva de cálcio no sangue) – boa hidratação e terapia continuada com bifosfonatos;
  • Dor – combate-se com analgésicos e em casos mais graves com radioterapia;
  • Insuficiência renal – ingerir líquidos em abundância.

Epidemiologia do Mieloma Múltiplo

  • A idade de maior prevalência é a 6.ª década de vida, embora possa surgir a partir dos 40 anos. Tal como em quase todas as neoplasias, o envelhecimento promove o acumular de erros genéticos nas células que potenciam o aparecimento de cancro.
  • Representa cerca de 1% de todos os cancros e 10% das doenças hemato- oncológicas. Por ano, em Portugal, surgem cerca de 400 novos casos de Mieloma Múltiplo.
  • Desconhece-se a causa do mieloma, embora a exposição a certos químicos e radiações possam ser factores desencadeantes.
  • Não é hereditário, nem possui uma causa conhecida ou evitável.

Evolução

O Mieloma múltiplo é uma doença incurável, contudo o tratamento permite diminuir o tumor e tratar os sintomas. Assim, é uma doença que implica períodos em que é necessário tratamento de quimioterapia (habitualmente durante meses), alternando com períodos em que o doente não apresenta sintomas nem necessita de qualquer tratamento.

Nas últimas décadas, devido aos avanços terapêuticos, as taxas de sobrevivência têm vindo a aumentar cada vez mais.

“(…)Por fim a todos os doentes com Mieloma Múltiplo, quero dizer-lhes que não é fácil, nem impossível retomar a nossa trajetória vida.” Luisa, 47 anos, Mieloma aos 43 anos

Saiba como pode ajudar os doentes da APLL